Cuidado, urubus nas estradas

Este artigo serve de alerta para todos que trafegam por rodovias.
Nas rodovias de São Paulo é muito comum aparecer um guincho com um mecânico sempre que um veículo para no acostamento por motivo de quebra do mesmo.
É impressionante a eficiência com que aparecem sem serem chamados. Nas rodovias já privatizadas, que mantém equipes de socorro com telefone a cada quilometro, conseguem chegar antes do socorro oficial.
Grande parte age de forma desonesta. Aproveitam quando o motorista não conhece de mecânica, que é o caso da grande maioria, e aumentam ao máximo a gravidade do problema. Muitas vezes um problema simples de ser resolvido como uma troca de um fusível em um veículo de injeção eletrônica, é mascarado com a alegação de quebra de uma outra peça, que por uma incrível coincidência eles tem no seu guincho ou carro-socorro para trocar de imediato.
Se for um veículo mais antigo com carburador normal, aí fazem a festa dos problemas serem os mais diversos possíveis.
Outra alegação é dizerem que não tem jeito de resolver na hora e que precisa rebocar, o que dará um custo por quilometro altíssimo até o destino ou a cidade mais próxima.
Nos casos de rodovias com concessionárias, mentem informando que escutaram no rádio que estão com muitas ocorrências para atender e que vão demorar para aparecer.
Muitos motoristas ficam apavorados pela situação grave apresentada e de ter que ficar parado mais tempo no acostamento, sujeitos a uma espera maior do socorro oficial, vulneráveis a um assalto e a motoristas que não respeitam o acostamento; com isto acabam aceitando.
Dão uma negociada no preço, que já está propositalmente muito mais caro mesmo, e o mecânico acaba cedendo na negociação, mas ficando com o valor final que esperava fechar. Isto dá uma sensação para o motorista que se deu bem na negociação, mas na realidade foi bem ao contrário. 
Parecem mesmo urubus que ficam sobrevoando de olhos atentos a espera de uma carniça.

As recomendações neste caso são :

- Para maior segurança física, ao quebrar numa curva, tente ultrapassar ao máximo este trecho de curva ou da saída da curva.
- Se conseguir levar o veículo até o posto mais próximo, melhor, mesmo que vá devagar pelo acostamento.

- Não deixe nenhum estranho mexer no seu veículo, pois muitas vezes já mexem em outra peça que está boa. Agradeça o interesse em ajudar, mas dispense-os.
- No caso de rodovias com concessionárias, após solicitar o socorro pelo telefone de emergência da estrada, aguarde pacientemente.
- Fique de preferência esperando fora do veículo e fora do acostamento, pois infelizmente é muito comum ter motoristas que utilizam o acostamento para ultrapassagens ou vão para o acostamento por outras situações que podem ocorrer, como uma fechada que recebem, desvio de um buraco, etc.
- Se ficar parado num lugar de menor visibilidade para os motoristas que estão se aproximando, além do triângulo devidamente colocado bem antes do seu veículo, procure alertar com um galho ou outro objeto não perigoso a uma maior distância que anteceda seu veículo.
- Não aceite nenhum tipo de bebida ou comida de um socorrista não credenciado pela concessionária. Geralmente quem oferece lanche são empresas de seguro, que mantém guinchos de socorro nas estradas para atender melhor seus clientes. Neste caso, não há problema em aceitar.
- No caso de veículos de carga, nunca comente sobre o que transporta.
- Procure sempre ter o número de telefone da Polícia Rodoviária da estrada que vai utilizar, pois principalmente no caso de rodovias sem o serviço de concessionárias, poderão orientá-lo melhor ou ajudá-lo.  


maio/2.008


Marcos Valle Verlangieri,
Diretor da Vitrine Serviços de Informações, empresa que criou e mantém o Guia Log.


Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br ou www.guialog.com.br .