A Importância da Gestão dos Estoques

Muitas empresas apresentam estoques equivalentes a 2 ou 3 meses de venda e, pior do que isso, 20% a 30% dele composto por itens obsoletos e até 50% constituído de itens de baixo valor e giro, conhecido tecnicamente como slow movers (ou slow moving).
Por outro lado, essas mesmas empresas apresentam problemas no atendimento de seus Clientes, nos itens de alto valor (classe A) e médio valor (classe B), incorrendo em rupturas. E isso quando não apresentam os mesmos problemas para os itens de menor valor (classe C).
Outras que melhor administram seus estoques, têm dificuldades com a variabilidade da demanda e com os lead-times de seus Fornecedores, gerando uma custosa sobrecarga nos estoques de segurança.
A combinação de fatores que afetam os níveis de estoques é gigantesca, e maior ainda são os impactos sobre a lucratividade e valor da empresa. Estoques mal administrados oneram o capital de giro da empresa, geram baixo nível de serviço aos Clientes internos e externos e contribuem diretamente para a queda da lucratividade. Estima-se que os custos financeiros e operacionais com estoques mal gerenciados gerem 2% a 3% de custo logístico adicional à empresa, em termos de receita de vendas.
Por sua vez, os custos financeiros e operacionais com a manutenção dos estoques atingem cifras que representam até 20% a 30% dos valores em estoques.
O fato de ainda estarmos na “infância” da gestão dos estoques faz com que tenhamos inventários de 2 a 3 vezes superiores aos norte-americanos e japoneses. Pagamos um alto preço pelo desconhecimento de técnicas de gestão de estoques, pela não utilização de ferramentas estatísticas (algumas muito básicas e de fácil compreensão), pela baixa aplicação tecnológica, por não investirmos na capacitação técnica dos gestores de estoques e pela visão restrita da cadeia logística (supply chain).
A gestão de estoques é competência ‘vital’ para qualquer empresa, e poderá trazer benefícios inimagináveis. Trabalhos recentes e pesquisas realizadas apontam que se podem reduzir em até 30% os estoques em um prazo ao redor de 18 meses, sem comprometer o atendimento aos Clientes.
O sucesso de uma boa gestão de estoques dependerá do apoio da alta gestão da empresa, da redução no número de itens comercializados, em ajustes nos lead-times de Fornecedores e na utilização de ferramentas e conceitos para a gestão.
Portanto, arregacem as mangas e garimpem as oportunidades existentes na sua empresa.
Antes de finalizar, um conselho: além de investir no hardware e software, capacite tecnicamente o Zéware! Sem a figura do gestor de estoques, ferramentas e processos terão a sua eficácia comprometida.

abril/2006

Marco Antonio Oliveira Neves,
Diretor da Tigerlog Consultoria, Hunting e Treinamento em Logística Ltda.
marcoantonio@tigerlog.com.br

www.tigerlog.com.br     


Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br ou www.guialog.com.br .