RFID A CAMINHO DA INTEGRAÇÃO

Iniciado em 1999, o plano original do Auto-ID Center, reunião dos laboratórios de três universidades - Massachusetts Institute of Techology, nos Estados Unidos, Universidade de Cambridge, na Inglaterra e Universidade de Adelaide, na Austrália - foi descrever uma tecnologia de identificação agregada a uma tecnologia de informação e infra-estrutura para o gerenciamento dos dados baseados em padrões abertos.
Sem o abastecimento de um padrão, seria impossível a leitura de etiquetas de identificação por radiofreqüência (RFID) usando diferentes arquiteturas. A necessidade de criar um sistema, onde as etiquetas possam ser lidas através de uma cadeia de abastecimento inteira, decorre da enorme quantidade de informação envolvida.

A partir disso foi criado o Auto-ID Center com o objetivo de colocar etiquetas RFID de baixo custo em todos os produtos fabricados, com uma única rede global fazendo o rastreamento dessas etiquetas à medida que estes produtos passem de uma empresa para outra e de um país para outro.
O elemento-chave é a criação de uma norma universal e aberta para a identificação de produtos e o compartilhamento da informação. O Auto-ID Center está trabalhando com organizações de todo o mundo para que uma empresa possa ler as etiquetas de outra empresa com a mesma facilidade com que, por exemplo, os computadores da IBM podem se comunicar com equipamentos da Apple através da Internet.
A necessidade de informação em tempo real, acuracidade, rastreabilidade e controle de lotes dos produtos na cadeia de abastecimento são de grande importância em todos os segmentos industriais. Na indústria de embalagens de produtos para consumo e nas indústrias que fabricam produtos de alto valor agregado, expressivos ganhos em eficiência de manufatura já têm sido obtidos. Agora muitas dessas indústrias estão procurando entender a redução de custos na cadeia de abastecimento, em especial as que movimentam grandes volumes de diferentes produtos através de complexas malhas logísticas – que freqüentemente estão separadas por grandes distâncias – e aquelas de alto valor agregado que na maior parte das vezes executam suas distribuições dentro da cadeia com esquemas complexos de segurança e rastreabilidade.

Superar limitações
Apesar do sucesso e da vasta área de utilização dos códigos de barras, está se tornando evidente que essas empresas necessitam de mais informações do que aquelas que os códigos de barras podem prover para um gerenciamento do fluxo de produtos mais exigível e ágil. Códigos de barras têm limitações como a visibilidade do seu sinal a partir do código de barras para o scanner. Com isso, pode ler somente um código por vez e exige pessoas para a captura dos dados, além do que, códigos de barras provem somente comunicação one-way e coleta uma quantidade restrita de informação sobre o produto. Também existe o risco de que os códigos de barras não sejam lidos. Códigos de barras impressos nos produtos também podem ser danificados de maneira que dificulte sua leitura. A arquitetura da solução RFID desenhada pelo Auto-ID Center foi feito para superar todas essas limitações e tornar possível a automatização em grande escala do processo de leitura, provendo informação em tempo real para todos os elos cadeia de abastecimento.

Benefícios do RFID
De acordo com muitos patrocinadores (empresas que estão efetuando testes pilotos da tecnologia), RFID promete economizar cifras milionárias de dólares através do aumento na eficiência na distribuição. Mas mesmo o mais fervoroso defensor admite que o potencial beneficio deverá variar bastante entre as operações da cadeia de abastecimento. Enquanto algumas promessas possam parecer um pouco otimista, RFID prove uma significante vantagem em relação a solução de código de barra. Antes de qualquer companhia embarcar numa solução de RFID em suas operações, devem primeiro ter um firme entendimento dos benefícios que essa solução possa proporcionar.

Benefícios / Características

- Eficiência / A ausência de atrito em uma operação com RFID em comparação com a solução de código de barra, a qual necessita de equipamentos e pessoas para leitura dos SKU’s, é grande ganho de eficiência da solução RFID

- Acuracidade / Pelo fato de prover uma identificação de objetos próxima da perfeição, sistemas baseados em códigos de barras podem ser extremamente acurados. Mas eles possuem um ponto fraco, eles dependem de um operador para desempenhar a leitura. RFID tem a habilidade de fornecer um mecanismo de rastreamento que não depende da mão humana. As transações podem automaticamente ser gravada com um produto em movimento, dentro do centro de distribuição.

- Visibilidade / A rede EPC (Electronic Product Code) oferece um verdadeiro potencial de extensão e otimização da visibilidade do produto além das quatro paredes de um centro de distribuição, enquanto o tradicional EDI prove um mecanismo para compartilhar a informação entre seus parceiros, RFID e a rede EPC podem fornecer a base de uma firme colaboração e uma ótima visibilidade através da cadeia de abastecimento.

- Segurança / Assim como RFID pode rastrear o movimento de objeto individual, ele pode ser usado também de um modo similar para ajudar na redução de roubos durante o manuseio destes produtos dentro da cadeia de abastecimento, por meio do emprego de portais RFID dedicados similares a paginas de internet entre os participantes da cadeia de abastecimento, pode-se detectar movimentos não autorizados dentro da cadeia e, portanto prevenir ou até barrar o roubo de uma carga ou produto.


Desafios da solução RFID
Considerando o estado atual da tecnologia RFID, seus desafios e barreiras podem fazer da solução RFID impraticável por muitas situações. Como qualquer aplicação de uma nova tecnologia, RFID deve trazer um aceitável retorno do investimento e o encontro de uma criteriosa performance produtiva que possa viabilizar a solução na cadeia de abastecimento, segue abaixo outros pontos
desafiadores a serem vencidos:


Desafios / Características

- Desempenho / Os leitores de RFID podem falhar na leitura das etiquetas por vários motivos. Distância e orientação das etiquetas em relação ao leitor pode impedir o sucesso da leitura da etiqueta. Certos materiais como metais ou líquidos podem distorcer ou absorver o sinal da etiqueta RFID, embalagens e o próprio ambiente que o circunda, assim como o próprio produto manuseado pode afetar o sucesso da leitura. Ondas eletromagnéticas, ruídos de fundo de gerado por outros equipamentos podem também apresentar problemas na leitura das etiquetas, até mesmo a velocidade que as etiquetas se movimentam através dos leitores pode prejudicar o sucesso da leitura.

- Custo / Os planos das primeiras empresas que estão adotando a solução RFID são de trabalhar com etiquetas mais baratas. Etiquetas passivas custam atualmente na faixa de US$ 0,20 a US$ 10,00 por etiquetas dependendo do tipo da quantidade desejada nos Estados Unidos. O Auto-ID Center prevê que uma etiqueta custará US$ 0,05 nos próximos anos, este é um custo aceitável e justo a ser usado na cadeia de abastecimento. Recentes avanços na fabricação das etiquetas prometem tornar esta meta realidade. Wal-Mart e o departamento de defesa dos Estados Unidos tende a forçar a disseminação do uso desta tecnologia, aumentando assim o interesse da fabricação de chips RFID, conseqüentemente o custo das etiquetas cairão nos próximos anos.

- Redesenho do processo / Uma vez que RFID pode ser usado no lugar do código de barra, muitas potencias eficiências e acuracidade, só serão obtidas se usarmos essa tecnologia de modo diferente do sistema de código de barra, ou seja RFID torna os processos internos do centro de distribuição um fluxo continuo sem atrito e isso exige mudança nos processos operacionais de forma que possamos obter os ganhos esperados com esta tecnologia.

- Integração / RFID não é uma tecnologia “plug-and-play”. Exige-se considerável planejamento, engenharia e afinação para fazê-lo funcionar no ambiente de produção. Considerando o atual estágio da solução RFID e sua pouca utilização nos dias de hoje, faz-se escassos os recursos humanos disponíveis para abraçar essa tecnologia nas empresas, isso significa que muitas empresas terão que contratar integradores terceirizados para assisti-los.

Nov/2004


Kalid Nafal,
Consultor da IMAM Consultoria Ltda, empresa especializada na solução de problemas relacionados à logística e engenharia industrial, movimentação e armazenagem de materiais, técnicas modernas de administração da manufatura e estratégias de produtividade.
www.imam.com.br    imam@imam.com.br 


Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br ou www.guialog.com.br .