LOGÍSTICA DO CASAMENTO

1. Introdução
O objetivo deste artigo é apresentar o Casamento como o mais provável ponto de origem da Logística, pois sabemos que a história do mundo originou-se da união de duas pessoas.
Também é notório o conflito entre as definições de Logística, principalmente entre as definições americanas e européias.
Hoje, os negócios são definidos em ambiente global, o que faz com que o conceito de logística esteja em constante evolução, acompanhando a evolução das sociedades. A definição que consolida bem o que é Logística independente do estado, país ou língua e mais aceita é: “A Logística empresarial trata de todas atividades de movimentação e armazenagem, que facilitam o fluxo de produtos desde o ponto de aquisição da matéria-prima até o ponto de consumo final, assim como dos fluxos de informação que colocam os produtos em movimento, com o propósito de providenciar níveis de serviço adequados aos clientes a um custo razoável”. [1]

2. Casamento X Ciência Militar
Muitos livros relatam que a Logística originou-se como uma ciência Militar, definido por volta da década de 50, porém oficialmente no século XVI surgiu o casamento religioso e logisticamente perfeito.
Quando decidimos pelo Casamento começamos à partir do planejamento estratégico, definindo: datas do enlace civil e religioso, a igreja predileta, o salão de festas, o buffet e seu cardápio, o mestre de cerimônia, as damas, os padrinhos e convidados, vestidos, modelos e textos para convites etc. Uma lista enorme de itens que deverá ser do tamanho do bolso do contratante e terá todo seus fluxos ativos e conectados no mesmo dia, praticamente no mesmo horário e com um único objetivo de transformar o dia de um lindo casal, no mais belo e marcante de todos os dias de suas vidas.
O responsável pela logística do dia, normalmente a noiva, toma como base o horário do casamento civil e ou religioso para poder identificar as distâncias e programar por exemplo, a hora de ocorrer a entrega do vestido de noiva no salão de cabeleireiros. Saber o roteiro que será utilizado deste salão para a igreja é muito importante para que não ocorra atrasos e com isto não seja cobrado taxas adicionais ou para que simplesmente não se perda o brilho desta cerimônia que não deixa de ser um custo aos noivos.
Não podemos nos esquecer que o cortejo de entrada na igreja é pura Logística, pois a noiva pré-estabelece as músicas, levando-se em consideração, o tempo de execução, a quantia de padrinhos, damas, floristas entre outros. Desta forma, tanto o cortejo de entrada, quanto o de saída terão seus tempos adequados às exigências do local.
Enquanto transcorrer o civil e ou religioso, o buffet está no salão de festas com todos seus suprimentos previamente entregues, preparando, fritando e assando os salgados para quando os noivos e seus convidados chegarem, encontrem garçons e recepcionistas à postos e, principalmente, a comida na temperatura certa. O buffet toma como ponto base para todo seu trabalho, o horário do casamento e seu tempo de execução e o roteiro entre o local da cerimônia e o salão de festas.
Reforçar sobre o roteiro em um casamento não é exagero, porque este é um ponto muito importante para a equipe de reportagem, que sempre solicita aos noivos que façam um caminho mais longo do local da cerimônia ao salão, para que a equipe possa chegar antes deles e preparar seus equipamentos.
Hoje, podemos encontrar no mercado, empresas que se oferecem para cuidar de toda a logística do evento “Casamento” com total assessoria nos mínimos detalhes, para que o único trabalho que o cliente tenha seja se divertir, sem nenhuma preocupação.
A Logística no casamento é pura. Pura em sua elaboração, sem precisar de definições técnicas. Pura, porque flui graciosamente. Pura na beleza que transpassa e pura para as pessoas que com a Logística trabalham, pois é puro estoque e fluxo de pessoas (noivos, padrinhos, convidados e profissionais), de materiais (roupas, comidas, lembrancinhas etc.), bem como, as informações que colocam tudo isto em movimento, tendo como único e exclusivo propósito, níveis de serviços satisfatórios à todos os envolvidos à um custo razoável à quem arcou com todos os gastos.

3. Conclusões
Foi possível dar uma visão mais romântica à Logística, colocando o “Casamento” como seu possível ponto de origem, mas como os negócios são definidos em ambiente global, devemos estar em um busca constante do real conceito de logística para acompanhar a constante evolução das sociedades e aprimorar este conceito!


outubro/2004

Adriana Bacic de Araújo e Silva Neves,
FATEC ZL – Faculdade de Tecnologia da Zona Leste
adriananeves@terra.com.br

Referências
[1] BALLOU, Ronald H. Logística Empresarial. São Paulo. Editora Atlas, 1992.
[2] POSSETI, Dd. Alberto. Disponível em: <www.fesppr.br/~possetti/Log%EDstica%20 Empresarial.ppt>. Acesso em: 14 set. 2004.
[3] PORTAL DAS NOIVAS. Disponível em: <www.e-noivos.com/content/index.php?action=articlesDetailFo&rec=79>. Acesso em: 14 set. 2004.
[4] Dornier, Philipe-P., et al. Logística e Operações Globais: textos e casos. São Paulo. Editora Atlas, 2000.


Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br ou www.guialog.com.br .