CONSTRUINDO O SUCESSO

O que é destino?
Destino significa uma direção, um caminho, mas não significa necessariamente uma rota fixa e inalterada como muitos julgam. Deste modo sorte ou azar representam uma conseqüência das nossas decisões, nossos atos, pensamentos e ações e não meramente influências “ocultas”.
Se você planta milho, não há como colher soja. Se você permite que o tempo lhe governe, não há como atingir objetivos, mesmo que você seja um expert.
Porém existem aqueles que reclamam de tudo ou se sentem injustiçados com a falta de “sorte”, no entanto, transferir a responsabilidade ou culpa para outros ao acreditar que há algo ou alguém influenciando nossa vida além de cômodo é muito conveniente.
Sorte ou azar simplesmente não existem. Representam, sim uma conseqüência de nossos atos passados em direção a algum lugar (bom ou ruim). O quanto de stress, dinheiro, qualidade de vida entre muitos outros fatores são resultantes de nossas ações anteriores (ou pela falta deles).
Mas, então o que significa aquilo que chamamos de sorte ou azar (resultados positivos ou negativos)?
Basicamente se pode dizer que o que acontece em nossas vidas tem haver com a combinação de alguns elementos, que são basicamente os seguintes:

CONHECIMENTO TÉCNICO
É a junção do quanto nos dedicamos a acrescer nosso currículo e nossas mentes com conhecimentos interessantes aos olhos do mercado e do ponto de vista de nossa satisfação pessoal. É imprescindível buscarmos a educação formal com cursos de graduação, pós-graduação, cursos de extensão, línguas, informática e assim por diante. Porém, existem pessoas que fazem mil e um cursos e, no entanto, pode-se dizer que seria melhor se estivessem ficado em casa dormindo.
Estas pessoas esquecem que cada um é uma empresa, é uma carreira a ser gerida e pensada e que assim como os negócios: precisa ser planejado. Existem pessoas que fazem o curso de estatística, se especializam em Marketing e concluem mestrado em Turismo Internacional. Qual o problema?
Simples. Não há foco. A pessoa não é especializada o suficiente para nenhuma das áreas se quiser dar aulas na graduação ou na pós-graduação, por exemplo.
Outros fazem cursos de todos os tipos e não se especializam em nada. Ou seja, fazem tudo e não são bons em nada. Apenas vão fazendo o que aparece na expectativa de estar bem, de ganhar mais ou qualquer outro motivo. Assim, têm certificados de atendente de telemarketing, reciclagem de papel, organização de almoxarife, redação comercial, etc, etc, etc. Não tem foco.
Desta forma, gerencie-se como uma empresa, ou se veja como alguém que tem uma carreira a estruturar. Com foco, com objetivo, com percepção de mercado.
Planeje seu currículo, planeje os cursos, eventos a participar, seja parte do dia-a-dia da sua faculdade sendo monitor, encampando projetos e pesquisas, enfim, construa sua educação formal.

EXPERIÊNCIAS
Muitos se vêem como profissionais experientes, atualizados e de bem com a profissão. Quando perdem o emprego é que se dão conta das agruras de procurar outra ocupação que em geral paga menos ou valoriza menos do que realmente se está qualificado. Tudo isto fruto da própria animosidade frente a atualização.

Esta atualização, tão necessária passa por alguns caminhos, como por exemplo: conversa com outros profissionais; visita a outras empresas concorrentes ou não para captar novos meios de fazer algo, novas formas de abordagem e comportamento, revisão de erros e acertos e medidas de melhoria; participação em cursos, eventos, workshops entre outros da própria área e de áreas afim, e assim por diante. Este item é similar ao anterior e consiste em gerenciar as experiências profissionais que podem ser úteis no presente e no futuro.
Algumas dicas úteis: assine revistas especializadas (não somente de sua área); visite periodicamente outras empresas e aprenda com os acertos e erros alheios. Teste sua habilidade, troque informações. Aqui cabe aquela famosa parábola: "existiam duas pessoas na estrada, cada uma com um pão debaixo do braço. Quando se encontram, cada uma deu seu pão para o outro e foram embora, cada um com um pão debaixo do braço. Outras duas pessoas, numa outra estrada, tinham cada uma, uma idéia na cabeça. Quando se encontraram, um contou para o outro sua idéia. Ao irem embora, cada uma tinha não mais uma idéia, mas sim duas".

TEMPO
Para tudo existe tempo. Existe tempo para nascer, para viver, para morrer. Existe o tempo certo para atacar, para recuar. Existe tempo de crescer e tempo de aproveitar o crescimento. Existe tempo de espera e tempo de “correr atrás”.

O tempo é um bem finito e aproveitá-lo é uma questão de necessidade e urgência. Nosso tempo (profissional) não é medido em horas, nem em dias e sim em momentos. Existe o momento certo para mudar de emprego, ascender, estabilizar e assim por diante. É preciso entender como utilizar este tempo. Por exemplo, a oportunidade ideal pode surgir, porém não se tem a experiência ou currículo necessário no momento. Podemos, ter o currículo ideal, a experiência necessária, porém não se ter como mudar de emprego no momento, pois será preciso esperar 30 dias de aviso prévio e o cargo não pode esperar. E assim por diante, existe tempo e momento. Conciliar tudo é um desafio e tanto.
Comece atacando os seus desperdiçadores de tempo. Organize seus documentos, contas, encontros, horários. Como dizia o comandante Rolim “A melhor maneira de ganhar dinheiro é parar de perde-lo” de forma análoga a “melhor maneira de ganhar tempo é parando de desperdiça-lo”.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA
Conheço casos de pessoas que possuem muita experiência, um currículo invejável e passam seus dias em sub-empregos. Profissionais especializados que não conseguem uma colocação no mercado. Um dos motivos pode ser a localização geográfica. Isto mesmo.

Imagine quantos graduados, experientes, com visão e capacidade residem em locais como, por exemplo, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre entre outras cidades com uma grande população e já bastante desenvolvidas, algumas até já saturadas, não estou dizendo que sejam ruins, mas sim que vigora a velha lei da procura e da oferta. Assim, pode-se estar em um local que já não comporta mais profissionais, partindo desta perspectiva muitos se obrigam a aceitar o que aparece e não questionam a possibilidade de estarem procurando novos locais.
Muitos ficam presos aos bens imóveis, e se esquecem que é possível vende-los, outros sentem medo por estarem arriscando e esquecem que dependendo a situação as perdas não seriam tão grandes, outros não se programam para viajarem nas férias procurando novos locais ou ramos de atividade e assim por diante. Enfim, as variações são as mais diversas possíveis. Porém, o fato é que é preciso coragem e visão para estar buscando novos locais.

REDE DE RELACIONAMENTOS
Quem você conhece e quem conhece você? Eis uma questão chave atualmente.

Manter uma rede de relacionamentos é imprescindível, pois, oportunidades podem surgir deste contato. Não se esta pregando necessariamente um novo emprego ou ramo de atividade, mas sim busca de idéias de melhorias, informações que estando sozinho jamais ficaríamos sabendo. Assim, nossa rede de contatos define em parte nossa possibilidade de ascensão.

Para finalizar preste atenção nesta estória de autor anônimo que creio ser muito interessante para exemplificar:
Conta-se que dois irmãos decidiram cavar um buraco bem profundo atrás de sua casa.
Enquanto estavam trabalhando, dois outros meninos pararam por perto para observar.

- O que vocês estão fazendo? - perguntou um dos garotos.
- Nós estamos cavando um buraco para sair do outro lado da terra! - um dos irmãos respondeu entusiasmado.
Os outros meninos começaram a rir, dizendo aos irmãos que cavar um buraco que atravessasse toda a terra era impossível.
Após um longo silêncio, um dos escavadores pegou um frasco completamente cheio de pequenos insetos e pedras “valiosas”. Ele removeu a tampa e mostrou o maravilhoso conteúdo aos visitantes gozadores. Então ele disse confiante,
- Mesmo que nós não cavemos por completo a terra, olha o que nós encontramos ao longo do caminho!
Seu objetivo era por demais ambicioso, mas fez com que escavassem. E é para isso que servem os objetivos: fazer com que nos movamos em direção de nossas escolhas, ou seja começarmos a escavar!

Mas nem todo objetivo será alcançado inteiramente. Nem todo trabalho terminará com sucesso. Nem todo relacionamento resistirá. Nem todo amor durará. Nem todo esforço será completo. Nem todo sonho será realizado.
Mas quando você não atingir o seu alvo, talvez você possa dizer:

- Sim, mas vejam o que eu encontrei ao longo do caminho! Vejam as coisas maravilhosas que surgiram em minha vida porque eu tentei fazer algo!
É no trabalho de escavar que a vida é vivida.
E, afinal, é a alegria da viagem que realmente importa!
Esqueça a sorte e o azar, aprenda a usufruir da “viajem”

maio/2.004

FÁBIO LUCIANO VIOLIN,
Mestre em Estratégias e Organizações - UFPR

Especialista em Planejamento e Gerenciamento Estratégico - PUC-PR
Professor universitário, palestrante e consultor de empresas.
flviolin@terra.com.br


Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .