As necessidades do ERP nas indústrias de processo

As indústrias do segmento de processo diferenciam-se muito das demais em relação ao modelo de gestão e, principalmente, aos pontos de controle do negócio.
Unidades de medida, processos de execução e especificações de qualidade, bem como o tratamento de pedidos de clientes, representam preocupações importantes na implementação de um ambiente ERP - Planejamento dos Recursos Empresariais.
O segmento de sistemas ERP inclui muitos fornecedores que se esforçam para oferecer uma solução para cada tipo de indústria; porém o segmento em particular exige características exclusivas para o sucesso da implemenmtação de um sistema ERP.
Entre as indústrias de processo, os fabricantes de alimentos e produtos de consumo embalados devem administrar uma ampla variedade de marcas e linhas de produtos.
Estas empresas estão continuamente vendendo e comprando linhas de produtos para melhor se alinharem com os seus planos estratégicos. Portanto, é importante que os provedores de ERP tenham capacidade de implementar e reconfigurar o negócio da empresa.
Outro fator importante a considerar é como as constantes mudanças enfrentadas pelos fabricantes de processo afetam as mudanças de configurações em sua cadeia de abastecimento. Em determinados períodos, a unidade de produção a granel é a fornecedora, enquanto que uma semana depois a fornecedora passa a ser uma outra unidade.
A capacidade de modelar o negócio e administrar de forma integrada as relações internas e externas da cadeia de abastecimento é ponto crítico no sucesso do modelo.
A solução ERP deve ter uma arquitetutra fundamentada no negócio, fábricas, filiais, armazéns. Isto permitirá a movimentação dos produtos da empresa corporativa para as fábricas e entre fábricas, possibilitando flexibilidade global do negócio.
As recomendações desejáveis ao ambiente ERP incluem, para as indústrias de processo:

As indústrias de processo incluem fabricantes de alimentos, bebidas, plásticos e produtos químicos.

Fórmulas e unidades de medida
As necessidades básicas do processo ERP têm operado em torno de uma arquitetura de fórmulas onde o desenvolvimento de itens de uma ou mais fórmulas é fundamental, contudo as unidades de medidas são inerentemente complexas.
A conversão de "unidade" para "quilo" inclui a necessidade de converter qualquer volume ou peso via peso específico. Além disso, a unidade de medida do mesmo item pode variar de acordo com a sua condição física.
Este peso determinado do item ou da embalagem é parte fundamental da solução ERP em uma indústria de processo.

O processo e as especificações de qualidade
O fabricante de processo frequentemente tem três modelos de manufatura sob seu teto ou distribuídos entre várias unidades.
O primeiro normalmente envolve o processo de refinaria de granel, como refinaria de açúcar ou xarope de milho, por exemplo, incluindo entradas e saídas. O produto a granel é, então, armazenado, e a qualidade do produto é medida, bem como definida sua especificação. A qualidade pode realmente impactar onde o produto será usado, como um componente adicionado num futuro processamento. Neste ponto deve-se considerar as especificações de qualidade que podem variar por lote.
Tomemos como exemplo uma manufatura de amêndoas: o tamanho das amêndoas pode excluí-las de serem usadas num recepiente de varejo de 4 quilos, mas permite que sejam usadas em um saco de 20 quilos. A capacidade de especificar a característica de qualidade de um item é, portanto, um ponto chave para definir a sua formulação.
A qualidade não é um assunto binário na manufatura de processo - normalmente requer a combinação de uma especificação com o pedido. As amêndoas a granel podem ser imediatamente vendidas por peso como produto final, ou um segundo processamento pode requerer amêndoas a granel para produção de amêndoas cobertas com mel. O processo final é a embalagem, que é tanto fundamental quanto complexa em uma indústria alimentícia.
Baseado nas condições mencionadas, os pontos fundamentais de um ambiente ERP na indústria de processo incluem: gerenciamento das formulações, conversão das unidades de medida e pesos, testes e especificações de qualidade, mix de produtos embalados e capacidade de identificação do item, soluções de planejamento usando opções a granel, embaladas ou reembaladas, e rastreamento de lote do início ao fim.
Nas indústrias de processo, o grande número de mercados - distribuidores, varejistas e indústrias - e inúmeras opções de embalagem, as especificações do produto e a competição, bem como a distribuição dos produtos, significam que o preço dos produtos pode variar dramaticamente num curto período de tempo. portanto, o modelo do ERP neste ambiente é fundamental para atender às necessidades deste segmento.


José Paulo Macedo Soares Junior,
Instrutor do IMAM no curso "ERP/MRP/MRPII".
Tel. (0--11) 5575 1400    imam@imam.com.br

Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .