Ergonomia: Trabalho com conforto

O planejamento estratégico na montagem de uma fábrica, escritório ou um outro ambiente de trabalho têm conquistado cada vez mais importância no cuidado das empresas dos mais diversos setores de atuação. Qual a melhor altura para uma bancada de fábrica? Posso usar qualquer mesa para colocar o computador? Que altura deve ter o assento das cadeiras para serem confortáveis?
Quando for comprar ou projetar espaços e móveis para sua empresa, recorra à ergonomia, ciência que estuda a adaptação do ambiente às medidas do corpo humano, os chamados dados antropométricos e suas necessidades. A ergonomia passa a ser encarada como chave para o sucesso de empreendimentos.
No trabalho esses dados são imprescindíveis para projetar espaços na operação de máquinas, nos escritórios, além dos próprios móveis. Mas também são usados no desenho de calçados industriais, veículos, máquinas e aviões; para prevenir dores pelo corpo, problemas nas articulações ou até mesmo acidentes.
Apesar de todo cuidado de arquitetos e designers, esses efeitos colaterais são muito comuns no Brasil, porque não existem informações precisas, quanto ao tamanho do brasileiro. A maioria dos produtos fabricados aqui consideram os dados antropométricos universais. Era comum ver equipamentos projetados para povos de outros países, serem utilizados por brasileiros, o que significava perda de rendimento, já que não eram confortáveis e exigiam muitas vezes, maior esforço físico no manuseio.
Hoje, isto já está mudando e há uma preocupação dos fabricantes, em deixar a opção de regulagens de assentos, controles, etc., de acordo com o tamanho do operador. Até no caso de calçados industriais, começam a surgir uma numeração intermediária aos números padrões.
Com a preocupação de atender a ergonomia, o conceito traz uma série de benefícios para as empresas, como economia e redução de custos, além de aumento da produtividade para funcionários e comodidade para as pessoas em geral, e diminui ainda o número de afastamentos por ordem médica.
Ao se tomar providências simples como por exemplo, de bancadas em fábricas, que devem ficar na altura dos cotovelos de uma pessoa em pé e ter espaço para os pés, e de que funcionários de escritórios, devem ficar quando sentados, com os pés inteiros no chão e também a mesa deverá estar a altura dos cotovelos, resolvem-se grandes problemas no mundo corporativo.
Para ler mais sobre formas corretas de ergonomia nos locais de trabalho, leia outros artigos desta seção.

setembro/2002

Marcos Valle Verlangieri,
Diretor da Vitrine Serviços de Informações S/C Ltda., empresa que criou e mantém o
www.guiadelogistica.com.br .

Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .