Central de Distribuição : A automação como fator competitivo

Com um mercado cada vez mais competitivo, a automação dos processos logísticos em uma central de distribuição torna-se fator indispensável para análise, de modo a manter a empresa competitiva no mercado, atendendo com eficiência e eficácia o elo primordial da cadeia de abastecimento : O Cliente.
A automatização de uma central de distribuição não pode ser considerada como um fator simples e ser tratada de forma isolada uma vez que uma central de distribuição é apenas parte integrante da cadeia de abastecimento, podendo ser considerado um dos elos de ligação entre as áreas de vendas e o cliente final.
Inicialmente é necessário avaliar os processos empregados atualmente na central a ser automatizada, apontando ao final as necessidades de melhorias e quais os processos que podem vir a ser automatizados de forma rápida e eficiente.
Quando tratamos do assunto automação/automatização de uma central de distribuição não podemos deixar de enfatizar a necessidade de estar utilizando sistemas especialistas que possibilitem gerir de forma segura é rápida todo o ciclo de informações geradas na central de distribuição – como WMS (Warehouse Management System – sistema de Gerenciamento de Armazém), OMS (Order Management System – Sistema de gerenciamento de pedidos), TMS (Transport Management System - Gerenciamento de Transporte), sistemas de R.F. (rádio frequência) com a utilização de coletores de dados, considerando ainda a integração destas soluções especialistas com os demais sistemas utilizados pela central de distribuição (Sistemas de Gestão, roteirizadores, sistemas de captação de pedidos, etc).
Além dos possíveis sistemas especialistas que poderão vir a ser empregados em uma central de distribuição, existem ainda os equipamentos que possibilitam uma maior agilidade nos processos de movimentação e armazenagem que devem ser avaliados, de acordo com o perfil de atendimento da central (como esteiras, sistemas automáticos de separação, troolers, trans-elevadores, etc.) que devem ser apontados através de estudos para a viabilidade da automatização da central de distribuição.

Ganhos mensuráveis com a Automação de armazém

Sem dúvida os possíveis ganhos com os processos de automação, estão ligados diretamente com a realidade atual da central de distribuição em relação ao seu atual grau de automatização. Porém de imediato pode-se mensurar ganhos como:

Mão não se pode deixar de apresentar também alguns impactos que surgem em um processo de automação de uma central de distribuição:

Precauções a serem Tomadas (Avaliando Processos e Sistemas)Contudo de nada adianta aplicar altas somas de investimentos para automatizar uma central de distribuição, sem estar considerando as reais necessidades da empresa sobre quais processos deverão ser reavaliados e qual a forma da automação que melhor atenda as necessidades da empresa.
Sendo assim é de fundamental importância que procedimentos a serem automatizados devem ser analisados e planejados pois em caso de se aplicar de forma errada a automação dos processos logísticos, incorrerá apenas em estar se utilizando a tecnologia para automatizar processos que necessitam ser revistos, fazendo com que impossibilite tornar a empresa mais competitiva no mercado.Equipamentos e Sistemas.
Após serem reavaliados os processos logísticos da empresa, e ser apontado o tipo de automação que melhor atenda as necessidades da empresa, é possível estar elaborando estratégias que possam ser utilizadas como bases para suportar as necessidades de automação.
Sendo assim elabora-se o escopo dos passos a serem seguidos, montando desta forma uma estratégia a ser seguida de acordo com o que foi definido como a melhor forma estratégica de automação.

Alguns tópicos que devem compor a estratégia a ser adotada:

Uma central de distribuição para manter seus processos automatização necessita essencialmente de um sistema capaz de gerir todos os processo logísticos (WMS), integrado com os sistemas utilizados na gestão do negócio, de forma a agilizar o acompanhamento e o gerenciamento do fluxo de informações geradas na central de distribuição, sendo flexível a tal ponto que possibilite viabilizar a total automação dos processos ou apenas parte deles.
Possibilitando assim, estar automatizando os processos logísticos de forma gradativa, como, por exemplo, após implantação de um (WMS) Sistema de Gerenciamento de Armazém este sistema possibilitar a implementação de coletores de dados para a automação dos processos que envolvam a equipe de trabalho, agilizando assim o fluxo de informações sejam estes coletores serem estações do tipo BAT ou ligados através de Rádio Freqüência ao WMS.
Atualmente a automação dos processos logísticos em uma central de distribuição possibilita tanto ao gestor da empresa como as áreas envolvidas, estarem acompanhando todo o processo do ciclo do pedido, citando como exemplo empresas que prestam serviços de envios de encomendas.
Atualmente as empresas de entregas de encomendas que são apontadas como as melhores, utilizam recursos tecnológicos que disponibilizam ao contratante dos serviços de distribuição destas empresas, estar acompanhando desde o momento que disponibilizou o produto para ser entregue até o momento exato da entrega ao destinatário final , acompanhando inclusive os processos que sucederam a entrega do produto.
Este tipo de acompanhamento é possível de ser aplicado a qualquer empresa atuante na área de logística, desde que possa estar integrando todos os processos de modo a gerar um fluxo de informações ágil, seguro e eficaz e eficiente.


março/2002

Domingo Martin 
LTi Consultoria - Logística & Tecnologia da Informação Integrando Soluções
(16) 3911-1675 
martin@lticonsultoria.com.br

www.lticonsultoria.com.br

Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .