Alternativas de Transporte

Como podemos definir   "alternativas de transporte"?
Inicialmente devemos conhecer alguns dados interessantes:
O modal tradicionalmente utilizado no Brasil é sem sombra de dúvida o rodoviário, que participa na matriz de transportes nacional da seguinte forma:

No Estado de São Paulo, a matriz de transporte com base no ano 2000, considerando uma movimentação de carga da ordem de 700 milhões de toneladas/ano, é a seguinte:

Este cenário tenderá a mudar considerando entre outros, os seguintes aspectos:

1.     Prevê-se crescimento do transporte no período correspondente aos próximos 20 anos com projeções que indicam um volume de carga no Estado de São Paulo da ordem de 1,257 bilhões de toneladas anuais.

2.     A população deverá atingir 43 milhões de pessoas.

3.     A indústria, agroindústria e a infraestrutura de transportes contribuirão através de suas relações comerciais com cerca de US$ 400 bilhões do Produto Nacional Bruto Anual.

Analisando este cenário e o contexto em que todos estamos inseridos, é óbvio concluir que a atual matriz de transportes precisa ser mudada para fazer frente à demanda atual e futura, permitindo o desenvolvimento e o crescimento de forma sustentada em todos os sentidos. 
Podemos então definir as "alternativas de transporte" como sendo a utilização dos demais modais (FERROVIÁRIO, CABOTAGEM, HIDROVIÁRIO e AÉREO) e incluir a importância vital dos sistemas intermodais (TERMINAIS RODO-FERROVIÁRIOS, TERMINAIS PORTUÁRIOS, CDs, ARMAZÉNS GERAIS, EADIS e AEROPORTOS) que já estão proporcionando, desde que adequadamente implantados, uma melhor alternativa logística que se ajusta a necessidade de qualquer empresa.
Embora possam ser vistas com um certo ceticismo devido nossa cultura rodoviarista, as "alternativas de transporte" devem ser encaradas de forma realista pois, veja resumidamente qual é a proposta que deverá resolver os problemas da movimentação de cargas no Estado de São Paulo nos próximos 20 anos, segundo o PDDT - Plano Diretor de Desenvolvimento dos Transportes, elaborado pela Secretaria de Transportes:

Já é possível conhecer e analisar com base nas características operacionais e de mercado de cada empresa, a logística que melhor atenderá e dará suporte para manutenção das necessidades atuais e futuras.
A redução de custos com o transporte, a melhoria da qualidade e a segurança do mesmo, são efetivamente percebidas quando se implanta uma logística multimodal convergente com os objetivos empresariais.
Gargalos operacionais e administrativos são facilmente identificados e eliminados quando se adequa toda uma infraestrutura existente com a busca objetiva dos resultados desejados - a maximização do lucro.

Vale a pena se questionar sobre isso!

fev/2002

GILSON AP. PICHIOLI
contato@logisticamultimodal.com.br


Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br ou www.guialog.com.br .