A sua empresa está preparada para a terceirização

Até recentemente as indústrias tinham a tendência de verticalizar suas atividades com o objetivo de assegurar maior domínio sobre a cadeia de abastecimento e garantir seu mercado.
Com os efeitos da globalização da economia e consequente aumento da competitividade, as empresas passaram a reverter o processo de verticalização ao dirigir o foco para o seu próprio negócio, "core business", porém muitas vezes sem avaliar adequadamente o problema, e num ritmo temeroso.
Quando o processo de terceirização (insourcing) ocorre sem que todos os fatores relevantes sejam devidamente analisados é muito grande a possibilidade desde que a decisão não seja a mais adequada, apresentando resultados distantes dos esperados.
Atualmente, como a logística é tida como um diferencial competitivo e está entre as atividades que estão sendo terceirizadas, julgamos adequada uma reflexão sobre o assunto, para que a empresa possa tomar a decisão correta e no momento certo.

Análise preliminar
O processo de decisão deve ser precedido por um estudo técnico preliminar, devendo ter início a partir da análise da Cadeia de Abastecimento (Supply Chain), na qual a empresa está inserida, desde os fornecedores de matérias-primas, componentes e insumos, até o cliente final, e do detalhamento de todas as atividades da operação logística passíveis de terceirização, inclusive seus custos, e índices de produtividade, entre outros indicadores.
Outra tarefa importante é avaliar se os serviços disponíveis no mercado são compatíveis com as necessidades da empresa e qual disponibilidade, capacitação e o custo dos prestadores.
Em seguida a empresa deve avaliar os motivos que levam à terceirização das operações logísticas, os quais se dividem em dois grupos:
O primeiro e que complementa o estudo técnico é composto por características mensuráveis, ou seja, reduzir custos, evitar investimentos e substituir custos fixos por variáveis, minimizar riscos de demandas trabalhistas, etc.
O segundo grupo de motivos para terceirizar é representado por características não mensuráveis, assim como dirigir todos os esforços para o próprio negócio.

O processo de decisão
A partir do estudo técnico preliminar, no qual foram detalhadas todas atividades logísticas passíveis de terceirização, dos serviços disponíveis no mercado, da comparação de custos e demais indicadores, entre as atividades desenvolvidas por equipes próprias ou terceirizadas, é necessária uma revisão profunda dos motivos para terceirizar, a fim de evitar-se decisões precipitadas, ou baseadas em comparações equivocadas, ou pela simples redução de custos, que é um dos primeiros fatores que são analisados e a partir do qual a decisão da terceirização é tomada.
Entre os fatores para avaliação citados acima, os não mensuráveis são certamente os decisivos para a tomada de decisão.
Quando a decisão é baseada em critérios não mensuráveis, por exemplo em uma filosofia empresarial, a partir da qual é determinado que todos os esforços devem ser centrados na atividade principal, é fundamental a sua compreensão para que o processo de terceirização seja bem sucedido.

A sua empresa está preparada?
Além dos estudos desenvolvidos para apoiar o processo de decisão é necessária uma avaliação extensa para perceber se a empresa será efetivamente receptiva a terceirização, quando os responsáveis deverão responder (por si e pela empresa) aos seguintes quesitos:
  

Conclusões
O exposto acima dá uma noção sobre o porquê de inúmeros processos de terceirização resultarem em fracasso, não somente por conta da quantidade de itens a avaliar, mas principalmente devido às incertezas e dúvidas da empresa que terceiriza.
Somente após desenvolver o processo de decisão até o ponto descrito acima e de esclarecer se a sua empresa está (ou não) preparada para a terceirização, é que deveremos iniciar a avaliação para escolha de um parceiro, o operador logístico.
A terceirização é uma tarefa longa e árdua, que tem como fim a escolha de um prestador de serviços competente, com características de compatibilidade e que irá compartilhar da construção de uma relação de mútua confiança, onde cada parte entende as dificuldades e necessidades da outra.

abril/2001

Antonio Carlos da Silva Rezende,
Consultor e Instrutor do IMAM para o curso "Terceirização das Operações Logísticas".
Tel. (0--11) 5575 1400
        imam@imam.com.br 

Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .