Gerenciando a Cadeia de Abastecimento
através da Administração de Inventários

O mapeamento detalhado de uma Cadeia de Abastecimento sempre apresenta o seu principal integrante: o material parado ou em movimento. Assegurar o adequado atendimento de todos os integrantes da Cadeia de Abastecimento e, principalmente, do seu consumidor final, razão da existência da Cadeia, se faz necessário para o sucesso da mesma.
Portanto, desta forma, explorando este tema com mais detalhes, pode-se identificar que uma das chaves para gerenciar adequadamente a Cadeia de Abastecimento é uma antiga ferramenta chamada "Administração de Inventários".
Agora, não pense no inventário como uma necessidade, mas sim, como uma garantia para cobrir os efeitos do desconhecido. Mas, o que é este desconhecido?
Pode-se identificar o desconhecido em diversas etapas da Cadeia de Abastecimento, como, por exemplo: desconhecido é a capacidade de entrega de meus fornecedores; desconhecido é a flexibilidade de produção de meus fornecedores; desconhecido é a disponibilidade de transportes; desconhecido é a flexibilidade de minha própria manufatura e a probabilidade de quebras de equipamentos; desconhecido é, afinal, uma série de situações que nos fazem agir preventivamente, aumentando nossos inventários, também conhecidos como estoques.
Pensando desta maneira, você pode eliminar o desconhecido e fornecer uma maior sincronia em sua Cadeia de Abastecimento, fazendo com que a relação de materiais em movimento sobre materiais estocados aumente cada vez mais.
O papel dos gerentes de materiais dentro das organizações está mudando: se, antes, eles enchiam os armazéns para não ouvirem gritos da direção sobre falta de material, hoje eles ouvem gritos para reduzir os estoques com a mesma intensidade que os ouviam pela falta de material. Sendo assim, a pressão na administração de inventários atualmente se dá nos dois sentidos: as empresas querem reduzir seus estoques, ao mesmo tempo que querem melhorar seu nível de serviço ao cliente, ou seja, o produto ou serviço que ele deseja,  no momento certo, na quantidade certa, no local certo, na qualidade desejada, ao mínimo custo.
O que aconteceria com sua empresa se, de uma hora para outra, os diretores resolvessem eliminar todo o estoque existente?
Você poderia produzir só sob encomenda? Tudo o que você teria a fazer seria:

1. Aguardar o pedido;
2. Adquirir matéria-prima;
3. Preparar os equipamentos;
4. Contratar mão-de-obra necessária;
5. Produzir e expedir para o cliente.

Não poderia ser mais fácil que isto, não é verdade? Lembre-se que, assim, você nunca terá o produto que seu cliente não precisa, não existirá obsolescência, não precisaremos mais reduzir inventários, não precisaremos mais fazer contagens de inventários, etc. Não é incrível?
Mas como viabilizar isto?
É só responder a duas questões básicas:
1. Quanto tempo levarei para disponibilizar o pedido conforme as necessidades do meu cliente?
2. Quanto tempo meu cliente estará disposto a aguardar?
Ou seja, qual é meu lead-time e qual é a expectativa ou necessidade de meu cliente?
Viu! Se o seu tempo é maior do que seu cliente está disposto a esperar, então você precisará de estoque para não comprometer seu nível de serviço. Mas, se o seu tempo é garantidamente menor do que seu cliente está disposto a esperar, para que estoque?
Portanto, produzir sob encomenda é o que todos desejam fazer e, neste sentido, existe um mundo de oportunidades a ser explorado nas atuais Cadeias de Abastecimento.
O desconhecido faz com que seu lead-time seja cada vez maior. Vá atrás do desconhecido e descubra as oportunidades que estão escondidas!
Desconhecer a real necessidade do cliente provoca, também, uma inadequada sincronia na Cadeia de Abastecimento. Por exemplo: por que temos que atender em 24 horas o cliente que está disposto a receber o pedido em uma semana, e por que vamos atender em 24 horas o cliente que espera ser atendido em 4 horas? Será que estamos realmente preocupados em atender às necessidades de nossos clientes?
Partindo desta análise básica, você começará a compreender melhor e visualizar onde se encaixam as diversas soluções disponíveis no mercado e que são relacionadas diretamente com a Cadeia de Abastecimento, como: EDI - Electronic Data Interchange (Intercâmbio Eletrônico de Dados), RFDC - Radiofrequency Data Colection (Coleta de Dados por Radiofrequência), Supply Chain Softwares, WMS - Warehouse Management System (Sistema de Gerenciamento do Armazém), Roteirizadores, Rastreadores via satélite, ERP - Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa), Sistemas de Carregamento Rápido (inferiores a dois minutos), Dispositivos de troca rápida de ferramentas, Parcerias com clientes e fornecedores, etc.
Ainda não fez sentido para você?
Então valerá a pena você se aprofundar mais nesta análise!



Daniel Georges Jehlen Gasnier,
Consultor da IMAM Consultoria Ltda., de São Paulo.
Tel. (0--11) 5575 1400     imam@imam.com.br

Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .