Produção enxuta vs. ágil

Enxuta
"Produção Enxuta" é um termo utilizado para descrever a abordagem da Toyota para a manufatura, comparada favoravelmente com a abordagem de produção em massa dos fabricantes ocidentais.
Produção em massa define um limite de aceitação em termos de número de defeitos, nível máximo de inventário, quantidade limitada de produtos padronizados.
A "Produção Enxuta" defende a perfeição: custos continuamente decrescentes, qualidade tendendo a zero defeitos, zero excesso de inventários e variedade ilimitada de produtos. Na prática, esta é uma "terra prometida" a ser alcançada.
Como foi demonstrado por Taichii Ohno, da Toyota, a eliminação da perda é fundamental. Enxuto inclui muitas técnicas, as quais se tornaram familiares no ocidente, como Just-in-Time (JIT), Kaizen e Kanban.

Significativamente, Ohno identificou "Sete Perdas" :

Na mentalidade Enxuta, cinco princípios são definidos como fundamentais na eliminação das perdas:

Ágil
Agilidade é um conceito emergente, focalizado na pronta resposta a mercados turbulentos e dinâmicos. Agilidade implica integração de todas as operações logísticas relacionadas, e ainda na perspectiva da cadeia de abastecimento.
Uma verdadeira cadeia de abastecimento ágil deve consistir do seguinte:

Sensibilidade no mercado - capaz de identificar e responder às demandas reais em oposição à demanda prevista baseada em dados históricos, ou compras oportunas.

Cadeia de Abastecimento Virtual - através da utilização da Tecnologia de Informação compartilhando dados entre os compradores e fornecedores, o cenário distorcido e ruidoso que aparece quando pedidos são transmitidos sequencialmente nas cadeias tradicionais é evitado. Cadeias virtuais são baseadas em informações, em oposição às baseadas em estoques.

Integração do Processo - refere-se ao trabalho colaborativo entre compradores e fornecedores, juntando desenvolvimento de produtos e sistemas comuns. Apenas parceiros da Cadeia de Abastecimento podem compartilhar informações e completamente explorá-las. Paralelo à integração do processo vem o foco comum, equipes de compradores-vendedores, transparência controlada da informação e contabilidade aberta. Um verdadeiro compromisso sem fronteiras é a chave para os "empreendimentos estendidos".

Parceiros da Rede - com mais e mais reconhecimento que negócios individuais não mais competem como uma entidade isolada, mas como uma Cadeia de Abastecimento, uma era da "competição da rede" está surgindo. As organizações de maior sucesso têm a habilidade da melhor estrutura, coordenando e gerenciando seus relacionamentos com seus parceiros em uma rede compromissada para o melhor relacionamento, mais próximo e mais ágil com seus consumidores finais. A rota para a vantagem sustentável reside em ser capaz de nivelar as respectivas forças e competências dos parceiros da rede para atingir a pronta resposta para a demanda do mercado. 

Comparação entre Produção Enxuta e Ágil
Fundamental para a filosofia da "Produção Enxuta" é a formação de parcerias de longo prazo na Cadeia de Abastecimento. Este funciona melhor em situações de produtos e demanda estáveis. Contudo, estas parcerias podem limitar potencialmente a flexibilidade e toda a Cadeia de Abastecimento. Para empresas ágeis, parcerias tendem a ser mais dinâmicas e focalizam as relações em um fornecedor particular, ao invés do desenvolvimento de estratégias enxutas centralizadas no alinhamento das necessidades do mercado com a competência das empresas de manufatura.
A tabela abaixo resume os principais tópicos desta comparação:

Enxuta Ágil
A meta primária Elimina as perdas da cadeia de abastecimento Focaliza-se no atendimento instantâneo das demandas do cliente final
Como funciona? Parcerias de longo prazo na cadeia de abastecimento são potencializadas Baseado no conceito de cadeias virtuais, parceiros são reconfigurados de acordo com novas oportunidades de mercado
Indicador de desempenho Indicadores de Classe Mundial baseados na qualidade e produtividade (se suas operações são enxutas, seus produtos irão supostamente vencer a concorrência) Métricas do Cliente (ex. pedidos atendidos completamente)
Organização do trabalho Enfatiza a necessidade da padronização do trabalho, melhorias contínuas, ambiente disciplinado Enfatiza a necessidade do alto gerenciamento envolvendo o desenvolvimento das pessoas que são capazes de assumir riscos e responder imediatamente a novas oportunidades
Planejamento e controle do trabalho Recursos balanceados, movimentação de materiais sincronizada e redução de perdas Interpretação imediata da demanda do cliente e resposta instantânea


Reinaldo A. Moura,
Diretor da IMAM Consultoria Ltda., de São Paulo.
Tel. (0--11) 5575 1400       imam@imam.com.br

Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .